sábado, 15 de março de 2014

"O Assombrador das Trevas" (H. P. Lovecraft)

http://2.bp.blogspot.com/-l50qWfsyvIs/T06PJ_J4fmI/AAAAAAAAAyA/9VNN7bk-OxM/s1600/Hist%C3%B3rias%2Bde%2BHorror%2B-%2BO%2BMito%2Bde%2BCthulhu.jpgHoje, dia 15 de março, há 77 anos atrás, morria um dos grandes escritores de horror do século XX: Howard Phillips Lovecraft. 


Acho que não é necessário explicar que aprecio muito a sua obra e blá blá blá, até porque você pode abrir a aba "Santíssima Trindade" do blog e descobrir que ele é parte integrante do time...


[obs: antes de qualquer coisa, por favor, desconsidere COMPLETAMENTE essa ilustração ridícula e tosca da capa da Martin Claret.


Mas então, pra humildemente marcar essa data, eu resolvi ler o primeiro conto (e um dos únicos) que vi disponíveis aqui em casa. É, foi basicamente isso que aconteceu...


Então, eu li "O Assombrador das Trevas". 


E, primeiramente, gostaria de trazer umas curiosidades sobre o conto:


Ele foi a única história de Lovecraft com uma dedicatória, e ela foi especialmente para Robert Bloch, que viria a se tornar o autor de "Psicose", imortalizado na adaptação cinematográfica de Alfred Hitchcock.


Mas um detalhe, meu caro leitor: na época da publicação de "O Assombrador..." (1936), Bloch tinha meros 18-19 anos!




Isso aconteceu porque Bloch sempre foi um fã das histórias de Lovecraft e até mandou cartas pedindo dicas de escrita ao mestre. De fato, as primeiras histórias de Bloch tinham muitas referências às obras lovecraftianas e até se passavam em um universo muito similar.


Inclusive, "O Assombrador das Trevas" é uma espécie de "sequência" de Lovecraft para um conto anteriormente publicado de Bloch, chamado "The Shambler from the Stars".   


Nesse conto, Bloch criou um personagem baseado em Lovecraft; e veja só: Lovecraft, por sua vez, criou um protagonista chamado Robert Blake (muito similar à Robert Bloch).

Bom, eu achei isso realmente foda.


Mas vamos à história per se:

 
É um conto relativamente curto e trata (novamente) de um jovem estudioso de culturas antigas e sombrias que acaba descobrindo algo muito mais perigoso do que ele imaginava. Robert Blake (o dito cujo), no entanto, tem um diferencial: ele é um escritor de histórias de horror e fantasia gótica. 


http://fc07.deviantart.net/fs71/i/2010/008/9/e/The_haunter_of_the_dark_by_gianmac.jpg
"The Haunter of the Dark" (1936)
Um dia, Blake percebe a presença de uma gigantesca igreja negra do outro lado da cidade. Logo ele se vê fissurado pelo lugar tão sinistro e que, estranhamente, era muito evitado por todos, até mesmo pelos pássaros, que nunca pousavam ali.


Então, ele vai até lá e descobre, a princípio, apenas desolação e abandono. Porém, não demora muito para ele encontrar objetos estranhos, como livros proibidos e profanos, cheios de mitos e veneração à criaturas abomináveis.


Além disso, existe lá um estranho objeto, que capta a atenção de qualquer um e possui uma aura de poder e horror inacreditável. Ao encará-lo, Blake percebe que alguma coisa parece ter despertado e que talvez ele tenha cometido um terrível erro...

-------------------------------------


Primeiramente, devo dizer uma coisa: até mesmo para os padrões do próprio Lovecraft (e de grande parte da literatura da época), essa narrativa pode ser considerada prolixa.


As descrições são muitas e, com certeza, muito minuciosas. Muita coisa que foi descrita em um parágrafo poderia ter sido tomado apenas em uma única linha.


Por um lado, os cenários ficaram chatos de serem lidos; por outro, a proeminente e crescente loucura ficaram bem mais intensas também. 


A loucura, vale dizer, toma um caráter dúbio (o que eu achei ótimo), pois em muitos momentos se insinua que Robert Blake, por ser um escritor de horror e fantasia, tinha uma mente extremamente fértil e, claro, fantasiosa.  


http://www.digitaldeliftp.com/DigitalDeliToo/Images/Robert-Bloch.png
Robert Bloch (1917 - 1994)

Mesmo com as descrições muitas vezes cansativas a história se mantém interessante sim. 


Poderia ter sido melhor? Na minha visão de merda, sim.


Mas torna-se, ainda assim, um bom e simples conto de horror, indubitavelmente.



 

[Ah, se alguém se interessar, o Robert Bloch tem uma coleção de contos baseados na obra do Lovecraft. Se chama: "Mysteries of the Worm".]









LIVRO: 
"Histórias de Horror - O Mito de Cthulhu". Martin Claret. Traduzido por: Lenita Rimoli Esteves.      

3 comentários:

  1. caramba este bock morre tão novinho..e tinha uma cara de 87 anos...putz...isto que dah mexer com além...Vá de retro!

    ResponderExcluir
  2. Na verdade, houve um erro de digitação sob a ilustração. Bloch faleceu em 1994, aos 77 anos.

    ResponderExcluir
  3. Li variiiiios contos e novelas de Howard Phillips Lovecraft, mas esse acabou por passar em branco! Vou resolver isso o quanto antes!

    ResponderExcluir