terça-feira, 10 de setembro de 2013

DEVANEIO: "Síndrome de Hipster e best-sellers, ou sobre sentir-se babaca"

Eu, como a maior parte dos seres humanos - pelo menos dos que eu tenho prazer em conhecer -, tenho certa aversão a hipsters e o comportamento hipster em geral. 


O amor às coisas, livros, bandas, whatever underground em resposta ao ódio raramente justificado pelo mainstream, pelo bem vendido ou simplesmente pelo bem divulgado. 


Não quero com isso, obviamente, dizer que tudo que é underground é ruim e que tudo que é mainstream é bom. Longe disso. Mas também me parece de uma idiotice indescritível manter apenas esses parâmetros para identificar algo como bom ou ruim.    



Infelizmente, a minha frágil existência e humanidade, o fato de ser apenas um mero mortal imperfeito e hipócrita, por muitas vezes me faz ter certos acessos de "sentimentos hipsters". 



Todo esse floreio que fiz não é realmente uma desculpa. Aliás, tenho plena consciência da superficialidade patética desses sentimentos e, mesmo assim, preciso de um pequeno conflito interno para conseguir assimilá-los e recalcá-los através de uma "auto-educação".


Na literatura, a primeira vez que isso aconteceu foi quando descobri Lovecraft. Achei incrível as histórias, a mitologia, a vida do cara. Entretanto, parecia que também gostava muito por causa do fato de ele ter sido (e ainda é) ignorado pelo grande público. 


Porém, aos poucos descobri que já tinha muita gente aficionada por ele e por sua obra. Isso me abalou um pouco e trouxe uma pontadinha de Síndrome Hipster, como se só eu pudesse usufruir de Lovecraft...


Isso foi superado, obviamente, afinal a gente tem que tentar evoluir, certo? Hoje, fico muito feliz quando vejo pessoas comentando ou citando Lovecraft.
 
 
http://4.bp.blogspot.com/-w7Kf4KnkQV4/T62Xm-r4eHI/AAAAAAAAImU/621nucXsI3s/s320/Im-Better-Than-You.jpg
Isso é ser babaca.

Atualmente, esse sentimento babaca surge para mim, mais frequentemente, com relação a maior parte dos livros best-sellers; fico com aquele pé atrás e às vezes percebo que isso acontece por nenhum motivo aparente:


A capa é legal;

A sinopse é interessante;

O autor chama a atenção;

As críticas são boas;


E, mesmo assim, fico naquele preconceito com o mainstream. Sim, me sinto um babaca. Sim, me sinto com Síndrome de Hipster.


O problema com os best-sellers é que, com certeza, existem opiniões bem diversas sobre cada livro. E, com certeza também, existem livros bons e livros ruins ali. 

O negócio piora quando o mercado literário especifica um gênero como sendo o hype. E isso aconteceu com os mais diversos gêneros por toda a história da Literatura. Mas, hoje em dia, com mais pessoas comprando e consumindo, maior é a divulgação e a atenção dada àquilo. 


Novamente, não estou falando isso tudo para justificar o sentimento babaca de "anti-mainstream". Só digo isso para tentar explicar o porquê disso acontecer com bastante frequência com os livros best-seller.


Bom, esse devaneio é muito mais uma reflexão do que qualquer outra coisa. Então, vai lá, para concluir:


  • Não seja babaca, julgando tudo a partir de rótulos de "underground" e "mainstream";

  • Tenha senso crítico e não aceite tudo como bom e nem tudo como ruim;


  • E, principalmente, se você se "sentir babaca", tente consertar isso. Faça como Sócrates (o filósofo, não o jogador) e tente aceitar a sua ignorância e preconceito quanto a esse tipo de coisa.


Se na Grécia Antiga um velho barbudo e feio já tinha essa noção, nós, seres modernos e esclarecidos, deveríamos ter bem mais que isso.


Eu não quero ser babaca.





         

Um comentário:

  1. Embora seja um ser humano cheio de preconceitos ... carrego muito a noção das coisas serem relativas comigo ... e devemos ler um livro, escutar uma música antes de sair julgando ... claro que falar é muito mais fácil ... às vezes é difícil não ser babaca!

    ResponderExcluir