domingo, 28 de julho de 2013

PSEUDO-RESENHA: "O Caso de Charles Dexter Ward" (H. P. Lovecraft)

http://images.livrariasaraiva.com.br/imagemnet/imagem.aspx?L=200&A=-1&pro_id=394283&PIM_Id=Título: "O Caso de Charles Dexter Ward"
Título Original: "The Case Of Charles Dexter Ward"
Autor: Howard Phillips Lovecraft (EUA) 
Ano de Publicação: 1941 (Weird Tales) [postumamente]
Ano de Publicação no Brasil (esta edição): 1997
Quando foi lido: 18/07/2013 - 27/07/2013
Editora: L&PM POCKET HORROR (vol.25)
Tradução: Ana Maria Capovilla
Arte da Capa: Ivan Pinheiro Machado
Número de Páginas: 173











[Só pra constar, não há spoilers nem nada que comprometa significativamente a leitura]  






"O CASO DE CHARLES DEXTER WARD"



No dia 13 de abril de 1928, Charles Dexter Ward desapareceu do hospital psiquiátrico no qual estava internado. Sua fuga intrigou a todos pelos poucos vestígios deixados; mas, principalmente, pelo fato de que ele era um paciente extremamente peculiar. Com aparência cadavérica e fixação por estudos antigos  ele mantinha um semblante que estava muito longe da de um jovem de 26 anos, a qual deveria possuir. 


Charles guarda uma série de segredos desde que começou a pesquisar, ainda na adolescência, assuntos há muito não tocados sobre um ramo esquecido de sua família; um passado escuro, cheio de mistérios sobre forças inomináveis e grandes rituais. Sua trajetória durante todos esses anos de estudo tornaram seu comportamento tão peculiar e perturbador que chamaram a atenção de seu próprio pai e do médico da família, o dr. Willet. 


Juntos, eles tentarão entender tudo o que aconteceu com Charles. Inclusive, tentarão desvendar mistérios que começaram já no distante século XVII.





O LIVRO



Apesar de gostar muito de Lovecraft, tenho que admitir que em certos casos senti dificuldades em apreciá-lo inteiramente. Isso pode ser visto em outros posts (esse e esse): neles, as notas não foram tão altas assim para um escritor que digo gostar tanto.


Mas devo dizer que dessa vez fiquei embasbacado com a qualidade do que li.


Apesar de um pouquinho prolixo no seu início, a história começa a ficar tão envolvente que você sente uma boa facilidade de passar das partezinhas mais arrastadas e descritivas. ~quer dizer, às vezes, as descrições nos textos lovecraftianos são as mais preciosas possíveis, né~



http://3.bp.blogspot.com/-UuSkSJFl86M/Tg9RlFHqTlI/AAAAAAAAAfE/4_fhusDyc9I/s400/hp-lovecraft-1.jpeg
H. P. Lovecraft (1890 - 1937)
A primeira parte da história já instiga, introduzindo bem ao nosso protagonista, Charles. Depois, ao trazer toda a retrospectiva das histórias do seu maldito antepassado e da sua própria, ficamos completamente "inundados" com mistérios, enigmas e diversas situações curiosas. O mais legal, na minha opinião, é que muitos acontecimentos e coisas que parecem inexplicáveis em um capítulo, no outro já são desvendados fazendo explodir sua cabeça com a compreensão de tudo.


Entretanto, há também um número considerável de fatos durante o enredo que tornam possíveis diversas interpretações e conjecturas do leitor sobre o .



Os elementos clássicos da escrita de Lovecraft estão aí também: os lugares, fatos e coisas que simplesmente parecem inomináveis. Umas boas referências aos eventos envolvendo bruxas na Salem do século XVII contribuíram ainda mais para a imersão na história.


De fato, a quantidade de acontecimentos é realmente grande para uma história de menos de 200 páginas.


Ah, claro... também tem o grande plot twist que, pra mim, foi excepcional.


Enfim, se eu tivesse lido o livro em dias um pouco menos ocupados, com certeza eu teria concluído a leitura em bem menos de 9 dias, como foi o caso.





UMA PEQUENA MANCHA



"O Caso de Charles Dexter Ward" se assemelha, de certa forma, a um conto chamado "O Horror em Red Hook". Em ambos (provavelmente apenas uma coincidência) há pequenos trechos que conotam a característica racista/xenofóbica que, de acordo com algumas fontes, Lovecraft teria. 


Infelizmente, mesmo nessa grande obra, isso ocorre. É um pedaço de texto pequeno ao qual não parece se dar muita ênfase. De qualquer forma, acredito que seja necessário comentar isso para deixar claro que, mesmo considerando Lovecraft um grande escritor e apreciando muito suas histórias e mitologia como um todo, tenho certas restrições a certas particularidades que por vezes aparecem também em seus textos.


Isso não desmerece a grande história criada, mas mesmo assim...



-----------------------------------------------------------



  
NOTA 



Por me prender, me surpreender, me fazer de refém, me fazer conjecturar o inconjecturável, me fazer se interessar inclusive por um episódio factual e histórico;


Por me forçar a tentar imaginar o inominável e a entender o que nenhum mortal deveria entender;


E por criar um mini-universo repleto de ocultismo em um livro razoavelmente curto, eu proclamo que a nota do Bigode do Poe é:





NOTA: 10 /10





AEEE! E fica aí para os anais deste humilde blog como uma história fodástica recomendadíssima!






LIVRO:
O Caso de Charles Dexter Ward (1941), escrito por H. P. Lovecraft. L&PM POCKET HORROR. Tradução: Ana Maria Capovilla.         

3 comentários:

  1. Lovecraft realmente tem esse quê preconceituoso nos textos dele. Acho que inclusive em algumas cartas pessoais ele mostra isso. Um escritor fenomenal e de ótimas ideias quanto à literatura, mas com outra nem tão interessantes assim

    >.<

    ResponderExcluir
  2. Oi Carlos,
    tudo bem?
    Não conhecia esse autor,parece ser muito bom. Mas não sei se é o meu gênero. Entretanto, gostei muito da sua resenha.
    Beijos.
    Cila- Leitora Voraz
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir